sábado, 26 de novembro de 2016

Resenha: O Império da Imaginação


AVISO: o Blog está com um botão de seguidores no topo da coluna lateral. Quem desejar virar seguidor, seja bem-vindo. Vocês serão os primeiros a receber as aventuras e conteúdos de download vindouros do blog. Obrigado aos leitores que sempre acompanham os posts!


Meu Deus, que capa horrível!
     Meses atrás, resenhei o livro Dados & Homens (Ed. Record) aqui no blog. A editora Leya, querendo angariar esse nicho também, trouxe recentemente o livro Dungeons & Dragons: O Império da Imaginação, escrito por Michael Witwer, irmão do ator e dublador Sam Witwer (se ainda não caiu a ficha: o cara de Star Wars Force Unleashed). Tal livro, se propõe a ser uma biografia de Gary Gygax, co-criador do primeiro e mais famoso RPG do mundo. Um adendo sobre a capa: se eu falei que a capa do Dados & Homens era feia, registro aqui a mudança de opinião. A capa selecionada para nossa versão nacional é hedionda! Na gringa, a capa emula a capa do Unearthed Arcana original, com o rosto do mago, sendo trocado pelo rosto de Gygax. A Leya optou por uma capa que emula, porcamente, o Livro do Mestre da 3ª edição, o que não faz muito sentido, tendo em vista que D&D está em sua 5ª edição, caso o apelo fosse associar de maneira imediata ao jogo que a “galera está jogando” atualmente. Sofrível. Julgamos a capa, mas e o conteúdo?

O livro inicia com os relatos sobre Gygax ainda pequeno, e como as experiências do menino iriam marcá-lo para sempre (inclusive, com duas experiências envolvendo assombração!). Ter poucos, mas fiéis amigos, explorar o sanatório abandonado da cidade e as tardes passadas no quarto, consumindo as pulp magazines que seu pai lhe comprava. A escrita de Witwer ganha por ser um ponto de vista mais humano e intrigante, menos jornalístico como o Dados & Homens. Na verdade, esse livro emana uma genuína admiração por seu ídolo, romanceando alguns pontos e referenciando outros ao qual existem provas de como os fatos se sucederam, seja por entrevistas do próprio Gygax ou conversas telefônicas com os envolvidos nas etapas cruciais que demarcaram o auge e a queda da TSR. Se eu havia reclamado que o Dados & Homens não possuía fotografias, aqui, as páginas centrais, ilustram vários momentos bacanas para os fãs, como fotos de Gygax e Arnenson nas primeiras GENCON!

O autor ainda preenche sua narrativa com várias curiosidades, por exemplo: você sabia que os módulos eram criados em páginas coloridas (sabe aquelas folhas A4 magentas ou azuis?) para prejudicar a qualidade das fotocópias e assim, evitar a pirataria do material?  A versão nacional possui ainda vários erros de digitação (às vezes escrevendo TRS ao invés de TSR) e tradução (vou dar um exemplo: o título Casualties of Wargames, foi traduzido como Casualidades dos Jogos de Guerra, quando na verdade seria Baixas nos Jogos de Guerra, termo militar formal para uma morte, justamente, capítulo que relata a perda do melhor amigo de Gary. Entretanto, esses erros não atrapalham a leitura.

Por fim, o lançamento da Leya é uma ótima pedida para os fãs. Michael Witwer escreveu uma linda homenagem de uma história trágica com traição de todos os lados (nem imagino como deve se sentir uma pessoa expulsa da própria empresa!). Felizmente Gary Gygax fora reconhecido no final das contas, chegando a entrar no Top 50 das pessoas mais influentes na cultura pop e na ficção científica. A história contada, ainda é um testemunho de conversão cristã do criador de D&D, que anos atrás havia sido acusado de satanismo e de que o jogo causaria transtornos psíquicos. Em seus últimos dias, Gygax se livrou de todo o rancor acumulado, fez as pazes com as pessoas próximas a ele, consigo mesmo e com Deus.

Boa leitura a todos!

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu Arquimago. Implantei esse botão ontem, vamos ver se a galera vai seguir mesmo. Abração!

      Excluir
  2. eu acabo já seguindo pelo mecanismo que sigo os outros blogs de rpg (o feedly), então pra mim o botão não é muito útil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo, sem problemas. Não entendo muito bem dessas paradas... Kkkk. Abraço.

      Excluir
  3. Me apaixonei por D&D depois de ler esse livro que achei para comprar num sebo. Levei para casa sem saber do que se tratava. Agora estou corrigindo um grande erro da minha infância e adolescência que é conhecer e ler os livros. A caixa da Grow tive que imprimir o material. Consegui comprar os 3 livros do 3.5, 4 do 4.0 e dois do Ad&D da Abril, falta agora do Livro dos Monstros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vindo ao blog,Rafael. Pelo visto já está montando uma boa coleção de D&D. Grande abraço.

      Excluir