domingo, 16 de julho de 2017

Resenha: Men in Black RPG





Em 1997 era lançado nas telonas, o blockbuster Homens de Preto e para aproveitar o hype, a West End Games (já famosa pelo seu RPG oficial de Star Wars), publica o MIB RPG. O jogo utilizava a base consolidada do seu já renomado D6 System, que já havia recebido um bem-vindo tratamento genérico. O Masterbook, já permitia usar o conjunto de regras para qualquer ambientação.

Classificar MIB RPG como um RPG de comédia é muito simples. Mas sempre friso que o jogo é mais que isso. Como nos filmes, há espaço para a comédia “pastelão”, para o drama, para o gore, para o pulp, para a investigação soturna de um mistério (a lá Call of Cthulhu), ficção científica e principalmente para o elemento que mais valorizo: os absurdos do cotidiano humano. Uma boa aventura de MIB deve ter os elementos citados em doses equilibradas. Mas fique tranquilo, o livro possui ferramentas e espaço para refletir sobre.

Como dito, o jogo usa o sistema D6, com algumas pequenas regras orbitando ao redor. Como regra opcional, temos as CUE CARDS, cartões que representam as famosas “deixas” e frases de efeito do cinema. Ao planejar a campanha, o Mestre cria um deck com algumas dessas cartas (o livro vem com uma folha de cartas em branco para xerocar). No início da sessão, cada jogador saca 3 delas e tenta ativar durante o jogo. Em troca, será recompensado como descrito na carta. Por exemplo, a seguinte carta: FALA “-Toque em mim com isso novamente e terei que me casar com você”, a recompensa é de 2 pontos de personagem. O Mestre e seus jogadores podem e devem customizar suas próprias CUE CARDS. Ótima ferramenta.   

O livro tem uma tabela de criação de Aliens muito boa também. É possível gerar poderes dos mais diversos, nomes escalafobéticos e outras bizarrices para seus agentes investigarem. Ponto alto para o Teste de Recrutamento, preenchido na criação de personagem, mas sem efeito mecânico, apenas um questionário livre repleto de piadas que “quebram o gelo” e ajudam muito a estabelecer o tom logo de cara. Uma das questões que lembro de cabeça era:

1-    Formule sua visão sobre o Big Bang.
2-    Agora, refute-a.

Genial!

O livro que contém a escória do universo!
MIB RPG provavelmente está no meu Top 3 de RPGs mais undergrounds. Por fim, apesar de um ser jogo incrível, acho que não foi um tremendo sucesso pelo mesmo fator que muitos jogos semelhantes enfrentam por aí: o forte apelo cômico. Ao meu ver, muitos Mestres e jogadores se sentem intimidados com RPGs de humor. Inseguros, acham que suas piadas não irão funcionar para todos ou mesmo que não irão funcional at all. Essa discussão por si só, já valeria um post, mas meu conselho é que basta relaxar. O humor (pelo menos o tipo ao qual mais aprecio e é bastante visado em MIB RPG), surge natural e gradualmente, movido e estabelecido pelo absurdo das situações, das conspirações e das lendas urbanas. Por fim, como todo bom RPG, será gerado organicamente pela história criada cooperativamente e das reações dos jogadores às cenas propostas. Não se intimide com isso e dê uma chance.

Abraço a todos e bons jogos.

4 comentários:

  1. Interessante. Há muito tempo tenho curiosidade de jogar e testar o D6 System. MiB parece um ótimo jogo, principalmente se rolar na pegada do primeiro filme, com o humor bem implícito (eles nos mostram situações esdruxulas enquanto vemos os personagens tentando levar aquilo tudo a sério, hehehe!). É um tipo de humor que eu gosto bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem colocado. Situações como a que descreveu geram as cenas mais memoráveis no Mib RPG. Obrigado por ler e comentar. Abraço.

      Excluir
    2. Sou fã do D6 System e, se quiser um material em portugues para iniciar a galera, existe o Modula 6 que é inspirado no Mini Six, com algumas alterações e expansões. https://nereusrpg.wordpress.com/modula-6/

      Excluir
    3. Opa, ótima indicação. Nem sabia que existia essa versão! Abraço e obrigado.

      Excluir