segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Resenha: Frostbitten & Mutilated



O post de hoje é sobre o livro mais recente de Zak Smith, autor dos incríveis suplementos/cenários de A Red & Pleasant Land e Vornheim (ambos já resenhados aqui no blog). Frostbitten é um material OSR sob o selo do RPG Lamentations of the Flame Princess e em suas quase 150 páginas, é composto de três partes distintas: ferramentas para trabalhar um cenário tomado de gigantes do gelo, mulheres guerreiras feministas, diabruras apocalípticas, bruxas e outros elementos dignos de uma banda de black metal, também traz um cenário completo para seu RPG favorito, chamado The Devoured Land (que fica ao norte de Vornheim ou em qualquer lugar extremo na sua campanha caseira) e por último, um calendário de eventos que darão vida e consequências para a sua campanha no cenário, mesmo que os personagens fiquem parados.


Seguindo a mesma linha do selo, o livro é lindo: capa de material semelhante a couro, impressão de qualidade, papel grosso de ótimo manuseio e encadernação extremamente resistente, “dando um banho” na costura da Wizards of the Coast, por exemplo, com aquela encadernação sofrível. As folhas de rosto e contra-capa trazem ferramentas de consulta rápida para o Mestre, bem no estilo “jogue o dado e grite”. As ilustrações de Zak são perturbadas e semi-abstratas de propósito, deixando margem para sua imaginação completar as gravuras das criaturas deformadas e dos trolls demoníacos encontrados da região. Gosto bastante desse tipo de proposta.

The Devoured Land: depois do autor citar algumas obras que o inspiraram, somos apresentados ao cenário de campanha e algumas motivações para jogar os seus personagens jogadores lá. Seja ouro (as lendas falam de tesouros guardados por reis trolls e caravanas que nunca voltaram), Anarquia (seu grupo fez alguma merda na civilização? Eles podem fugir para essa terra sem lei, que apenas os loucos adentram), Conhecimento (as Terras Devoradas podem muito bem ser o local mais antigo de seu mundo. Quem sabe os segredos que elas guardam?) e por último Aborto (sim, as tribos de amazonas guardam segredos e técnicas que prometem até mesmo abortos indolores, o que atrai mulheres adúlteras, irresponsáveis ou que infelizmente, foram vítimas de um estupro). Não é raro, por exemplo, uma princesa de disfarçar e contratar aventureiros para levá-la até as amazonas, tudo para proteger sua boa reputação. Claro que é um desafio encontrá-las, convencê-las e por fim, pagar o que elas exigirem. Obviamente, é um material que demanda maturidade e o grupo certo. Como tudo em Lamentations of the Flame Princess.

Bárbaras abortistas? Sim, pode trucidá-las.
Depois de falar sobre as principais amazonas do cenário (e sua sociedade matriarcal), o livro explora os animais da região, criaturas únicas e os perigos naturais, como avalanches, que chegam a ser tratadas com ficha própria. Os Demônios Afogados saem de rios e lagos congelados para levar suas vítimas para o mesmo destino, mas vão embora se você disser seus nomes verdadeiros. Interessante também notar que existem versões ordinárias de animais, mas também, suas contra-partes sobrenaturais. Por exemplo, o corvo: há o corvo mundano, mas também a nuvem de corvos (que é tratada como uma criatura única e mais poderosa), e o Black Sky que ataca visando ou o olho ou a língua da vítima, com chance de deixar seu personagem cego ou mudo permanentemente. Coisa fina mesmo... E não se deixe enganar: cada troll e gigante do gelo traz uma tabela de poderes únicos da criatura. Seu grupo nunca encontrará dois exemplares iguais desses monstros.

O livro traz várias magias novas

Depois dessa galeria, temos o capítulo Calendário e Mapa que são justamente as ferramentas para seu grupo explorar e o Mestre criar eventos que impulsionem as coisas ao redor deles. Apesar de não trazer um mapa dividido em hexágonos, e sim em retângulos, a mentalidade é a mesma: em cada retângulo, uma entrada que pode trazer informações sobre criaturas nativas, marcos na paisagem e eventos engatilhados ao explorar aquele espaço. Claro, há tabelas para gerar seus próprios encontros aleatórios quando o grupo adentrar uma área não-mapeada. O livro ainda traz duas masmorras completas: a Dim Fortress (algo com a Fortaleza Penumbra), um local extremamente perigoso. Imagine o seguinte: o seu grupo sai de um cenário totalmente branco e cegante e vai para outro, totalmente negro e sem luz. Soa divertido, não é mesmo? Se você possuir o livro Veins of the Earth é capaz de jogar uma campanha inteira só nessa masmorra. A segunda “masmorra” é a Sevenfold Tower (algo como a Torre Dividida em Sete), que é uma oportunidade boa de separar o grupo e testar os pecados capitais com cada um dos integrantes (o livro apresenta alguns testes para tal).

Depois disso, o livro apresenta duas classes novas para seus jogadores: a Amazona Guerreira, que deve selecionar de qual tribo ela vem. Toda vez que ela passar de nível, obtém habilidades especiais, jogadas num D100 e conferindo na tabela referente. A segunda classe é a Bruxa, que consegue ler a pele de serpentes e afins e sempre que passar de nível, obtém uma característica e uma habilidade especial. O livro ainda traz novas magias só para ela, apesar que Magic-Users podem aprender com a permissão do Mestre e devido esforço. Entretanto, o livro indica permitir essas classes apenas depois que o cenário for apresentado.


A próxima sessão apresenta dicas para aventuras num ambiente inóspito, traz novos tipos de materiais e substancias encontradas apenas nesse cenário e dicas para a exploração hexcrawl em geral (leitura obrigatória para amantes de hexcrawl). Para finalizar, como de costume, várias tabelas aleatórias para inspirar e ajudar o Mestre. Há tabelas para criar elementos intrigantes nas aventuras, para criar marcos únicos durante a exploração do grupo, um gerador de tribos únicas bem completo, um gerador de criatura deformadas, de maldições, e até de mortes! Ao invés de falar: “blz, 6 de dano, a amazona morreu”, lance na tabela e obtenha coisas como: “sua espada perfura a amazona e quando puxa a lâmina, ela vem acompanhada do estômago da vítima”. Poesia pura! O livro ainda traz um grupo de NPCs prontos, aventureiros que se perderam ou estão em alguma missão naquele ambiente inóspito. Na verdade, o livro encoraja o seu grupo, encontrar outro grupo. Há uma tabela para criar aleatoriamente os integrantes e suas motivações. 

A Dim Fortress
Por fim, a Terra Devorada é um local perfeito para uma campanha de weird fantasy, pois é uma local que pode ser belo e terrível ao mesmo tempo.  Há árvores que cresceram com a primeira chuva do mundo. Por vales secretos, existem cavalos que nunca foram cavalgados, espíritos de pura sabedoria e outros, prometem poder apenas para corromper os sedentos. Uma brisa refrescante, pode se transformar rapidamente em uma nevasca mortal para um grupo despreparado. Alguns tomos antigos e fragmentos de pergaminhos, atestam que a existência se iniciou ali, mas que ela também se encerrará ali. Seja Loftp, DCC, D&D 5th edition ou outro jogo, experimente colocar seu grupo nessa terra: cada erro será cometido apenas uma vez. 

Abraço a todos e bons jogos.

4 comentários:

  1. "...Cada erro será cometido apenas uma vez"
    Isso me fez imaginar as consequências que o nosso antigo grupo teria jogando neste cenário kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk, ah sempre imagino isso! Abração, vê se aparece!

      Excluir
  2. Cara, eu não tava animada a comprar esse livro. Agora to. Maldito seja :P

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkk. Sei bem como é ficar pilhado assim. Abraço.

    ResponderExcluir