sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

A Flecha de Fogo – Sem Spoilers

Em dezembro de 2018, a Jambô Editora publicou o mais novo romance do universo de Tormenta: A Flecha de Fogo. Um calhamaço de 739 páginas escrito por Leonel Caldela.


Olha aí que belezoca!
OK, antes de começar a falar sobre o livro precisamos responder uma questão simples: Qual é a dessa Flecha de Fogo aí do título?

Obviamente não darei spoilers aqui, basta saber que essa Flecha marca o final de uma profecia que falava sobre o nascimento, a vida e a morte de Thwor Ironfist, um bugbear que uniu as tribos e raças goblinoides para vencer os elfos e dominar o continente de Lamnor.

Para contar essa história nas mais de 700 páginas do livro, Leonel Caldela cria personagens excelentes (alguns deixando aquele gostinho de quero mais) e também traz de volta personagens clássicos do cenário, muitos deles com uma nova pegada, surpreendendo até mesmo fãs de longa data do cenário.

Ao contrário do que se poderia esperar de um livro sobre um grande evento profetizado, a trama avança quase sempre em níveis pessoais, mostrando a evolução e a mudança de seus personagens junto com as mudanças do mundo ao redor deles.

Além de bons personagens e uma ótima história, Leonel também nos presenteia com uma ótima criação de mundo. Toda sua descrição do continente de Lamnor, da sociedade e da cultura dos goblinoides e da Aliança Negra me deixou com vontade de ler mais uns três romances nessa ambientação. Desde o menor dos goblins até o próprio Thwor, todo mundo tem sua importância nessa sociedade. E essa importância é muito bem mostrada no livro, com momentos pra cima que te deixam animado e com momentos tensos que acertam aquele tapa no pé do ouvido.

E Leonel não criou só uma cultura. Ele também fez um dialeto para os goblinoides. Nada tão grande e funcional como os de Tolkien, mas o glossário ao final do livro te deixa capaz de escrever algumas frases curtas e (principalmente) criar nomes legais pra personagens de RPG.

Como nem tudo são flores, o livro tem alguns probleminhas de impressão. Algumas frases acabaram impressas com problemas de espaçamento e algumas páginas estavam com impressão mais fraca. Nada disso atrapalhou a leitura, mas acho que tem que ser dito aqui.

No geral, “A Flecha de Fogo” é um baita livro. Um bom ponto de entrada se você nunca leu nada do universo de Tormenta, e um romance indispensável pra quem já acompanha o cenário. Você pode comprar o seu na loja online da editora, em versão física ou digital.

Até a próxima e daytt-muaken iyk-deshhzahuk!


PS: Quero mais Gradda, me dá mais Gradda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário