quarta-feira, 24 de maio de 2017

Papo de Monstro - Rakshasa

Olá, pessoal. Bem vindos a mais uma edição da Papo de Monstro, nossa coluna semanal sobre monstros de RPG e da cultura pop!

Essa semana vamos falar de mais um dos monstros criados nos primórdios do jogo. Esse, teve inspirações em duas coisas extremamente diferentes: a mitologia hindu e um seriado de TV dos Estados Unidos.

"Então, bem diante de seus olhos, a mulher que vocês protegiam começa a se transformar. Sua pele  ganha pelos alaranjados com listras negras. Suas mãos se retorcem e viram ao contrário enquanto suas unhas viram garras afiadas. E seu rosto assustado, lentamente, dá lugar a um focinho; rindo em zombaria."
O Rakshasa do primeiro Monster Manual
O Rakshasa fez sua primeira aparição em dezembro de 1975, na sessão "Creature Features" do periódico "Strategic Review". Pouco depois, a criatura também apareceu em "Gods, Demi-Gods & Heroes", o quarto suplemento de D&D.

Criado por Gary Gygax, o monstro tem clara inspiração nos Rakshasa da mitologia hindu. E isso não se limita ao nome, o Rakshasa mitológico é um mestre das ilusões e poderes mágicos, além de devorar carne humana, assim como a versão de D&D. Porém, apesar de ter poderes e habilidades muito parecidos, a aparência das criaturas é muito diferente. Enquanto os Rakshasa de D&D são homens-tigre com as mãos trocadas, as criaturas mitológicas são seres gigantescos com olhos e cabelos em chamas.

Ravana, o Rei dos Rakshasa mitológicos
Mas, como já foi dito lá no início do texto, a mitologia não foi a única fonte de inspiração de Gygax. Como ele mesmo explica, outra influência importante foi a série de investigação sobrenatural "Kolchak: The Night Stalker" (no Brasil "Kolchak e os Demônios da Noite):

"Eu era fã de Kolchak e eles usaram um Rakshasa como um monstro na série. Eu gostei da ideia de um demônio sendo destruído por um virote de besta abençoado, então usei isso no Monster Manual." (Traduzido de https://rpg.stackexchange.com/questions/24615/what-inspired-the-dd-version-of-the-rakshasa)

Pôster de Kolchak
Como não podia deixar de ser, o Rakshasa deixou sua marca em muitas coisas da cultura pop. Desde uma breve aparição no romance Deuses Americanos, de Neil Gaiman; até um monstro da semana na série Supernatural.
Nos videogames, tivemos inimigos em Final Fantasy e unidades em Heroes of Might and Magic V. Até mesmo outros RPGs fizeram referências, em Vampiro: a Máscara temos um ancião Ravnos chamado Rakshasa.

Espero que tenham gostado da coluna dessa semana, pessoal. Agora continuem o papo aí nos comentários e deixem suas opiniões sobre o monstro e sobre a coluna. Aproveitem para sugerir monstros que vocês queiram ver por aqui. Até a próxima e abraços para todos!

10 comentários:

  1. Sugestão: Urso Coruja!

    EU sempre curti esse tigre de pata virada. E lembro q confundi por muitos anos Rakshasa com Rakasta

    ResponderExcluir
  2. Ops, quer dizer, urso coruja ja foi, ehehe.

    Sugestão:Devorador de mentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Rafael, bom te ver por aqui. Tanto o Urso-Coruja quanto o Devorador de Mentes já foram feitos. Miguel terá que se desdobrar para fazer de outros. hehehe. Grande abraço!

      Excluir
    2. jezuzinho!
      eu achei q eram os illithids. como chama aquele "cachorro illithid"?

      Excluir
  3. ah, acho qé "devorador de intelecto"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá com sorte, Rafel. O devorador de intelecto tá na minha lista! :D
      Deve pintar por aí logo mais...

      Excluir
  4. A mão virada ao contrário era o que mais me torcia o cérebro. Ficava pensando como esse bicho simplesmente não ficava preso em algum lugar ou sem conseguir segurar uma espada porque nossos utensílios, maçanetas e armas foram feitos para quem tem mãos normais.

    Aí acabei nunca usando um rakshasa porque eu mesmo não conseguia levar um a sério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk... bizarro de fato. Pode criar que foi banido do clã justamente por ter nascido com as mãos "normais". Abraço.

      Excluir
    2. A resposta básica aí é "mágica". Não tem muito ora onde correr. ;D
      Mas se for analisar direito, o lance das mãos é esquisito mesmo.

      Excluir